Featured

Cuidar de Nós – Autocuidar

Hoje em dia a sociedade, religião e vida quotidiana querem nos mandar abaixo. Querem que nos sintamos gordos para comprar comprimidos, dietas, suplementos, batidos e tisanas. Querem que nos sintamos diminuídos, pequeninos, insignificantes porque não fomos de férias pela terceira vez este ano, porque o carro que conduzimos não é novo, porque o nosso telemóvel não é ultimo modelo…

Ainda hoje, das raras vezes que vou a missa, me ri-o com o discurso do padre, que nos diz que devemos pedir perdão pelos nossos pecados. Não é isso que fazemos o tempo todo? Sentirmo-nos culpados e pedir perdão aos outros: porque não sou magra, porque não tenho o cabelo de uma determinada forma, porque os meus dentes deviam ser mais brancos, porque devia conseguir trabalhar mais, dormir menos, comer mais saudável… a lista continua e pergunto:
– Quando vamos pedir desculpa a nós próprios por aceitarmos esses pensamentos negativos o tempo todo?

A chuva cai intensa lá fora e no meu quarto, confortavelmente refonfada na cama penso nos homens e mulheres das cavernas. Teriam eles inseguranças sobre estas sem-importâncias do dia-a-dia? Na minha cabeça consigo imaginar homens e mulheres em cavernas comparando-se com os demais, sentindo-se inseguros porque a lança do vizinho era melhor, mais bem talhada que a nossa e ele apanhara mais carne que nós antes.

Se calhar é natureza humana, compararmo-nos com os demais. Mas porque não é da natureza humana uma pessoa se autocuidar?

Os adolescentes e muitos adultos vêm muitas vezes o banho como uma obrigação, arrumar as coisas, lavar os dentes, ler, meditar, dormir… Estas são apenas algumas ações, mas porque não vemos isto como nos autocuidar. Por exemplo comer focado na nossa refeição, que nos nutre, sustenta, conforta, que nos dá prazer e nos provoca os sentidos… hoje a hora da refeição é visto como uma tarefa, um empecilho, uma obrigação.

Isso por exemplo não consigo pensar que os homens e mulheres das cavernas fizessem. Nós deixamos de nos autocuidar ao nosso nível mais básico.
Nós vamos ao ginásio para depois termos conversas internas entre os nossos eus explicando-nos que estamos gordos para comer “aquela” comida. Nós recriminamo-nos pelas nossas características físicas e não vemos que o simples gesto interno de nos agradecer por sermos quem somos é um gesto de autocuidar. É um auxílio ao nosso bem estar. O nosso corpo, mente, espírito pode sempre ser trabalhados e evoluir, mas tal como a criança que não respeita quem lhe bate, mesmo que lhe obedeça assim somos nós.

Como queremos que o nosso corpo nos obedeça? Nos auxilie da melhor forma se nós não nos autocuidamos. Se não respeitamos as refeições, as nossas características físicas ou psicológicas, as nossas necessidades.

Autocuidar é uma base essencial da vida.

Por isso pergunto o que fizeste para te autocuidades hoje?

Photo by Suhyeon Choi on Unsplash

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *