Gerir o nosso tempo em Rede - Serie Saúde Mental - All Boheme
Featured

Saúde Mental – Gestão de Tempo em Rede

Como gerir o nosso tempo em rede

Este post é o primeiro numa série sobre Saúde Mental, neste caso focando no tempo que estamos ligados à rede, ou seja em dispositivos móveis ou ao mundo exterior. Em primeiro lugar quero distinguir dois tipos de tempo de rede. Temos no dia a dia de gerir dois períodos de tempo: o nosso tempo de rede com a nossa família, que atualmente se esta não está presente fisicamente connosco é tempo em que estamos a ligar, trocar mensagens e fazer vídeo-chamadas. E temos também o nosso screen time ou tempo dedicado a ecrãs em que estamos ligados a uma antena algures e estamos a fazer atividades que não envolvem interação direta com terceiros.

Como gerir o nosso tempo na rede: Comunicar com quem gostamos.

Neste ponto é importante definirmos uma rotina para nós próprio, se por exemplos os nossos amigos ou familiares estão em tele-trabalho é importante não os perturbar durante as horas de expediente. Tal como nós não pararíamos a meio da nossa sessão de trabalho para ligar por exemplo aos nossos pais e conversar durante largos minutos a não ser que existisse algo urgente.

Criar uma rotina de conversa com os nossos amigos e familiares é positivo, enviem mensagens ou façam chamadas com regularidade e definam um período de tempo para essa mesma atividade. Isto dá estrutura ao nosso dia e evita ansiedade na espera de respostas ou uma dependência excessiva dos nossos dispositivos móveis. Que podem ser uma fonte de distração quando estamos a meio de outras tarefas.

Podem fazer por exemplo como eu, que coloco o telemóvel na gaveta da secretária ou então na secretária, mas fora do campo de visão imediato enquanto trabalho, por vezes até com o ecrã voltado para baixo ajuda. 🙂

Como gerir o nosso tempo em rede: Ligados aos ecrãs.

Uma das coisas mais importantes hoje em dia para auxiliar a nossa saúde mental é sem dúvida o nosso tempo em rede ou online.

Devemos cuidar da nossa saúde mental e um dos grandes e melhores passos para o fazer é estar em controlo, dentro do possível, daquilo que nos entra na cabeça. Exemplos de coisas que fazemos que nos prejudicam:

  • Seguir nas redes sociais pessoas que nos aportam sentimentos negativos;
  • Procurar ativamente notícias ou artigos sobre temas que nos incomodam ou que nos causam stress;
  • Ativamente visitar websites de lojas online quando não temos algo em mente específico ou uma necessidade real;
  • Ter dispositivos ligados quando tentamos nos concentrar em atividades que estamos a fazer, como estar a ler um livro com a tv ligada ou jogar um jogo e ter música no background.

Estes são 4 pontos-chave que devemos e podemos controlar. Por exemplo se saímos de uma relação recentemente ou se existe um perfil em particular que não nos influencia de forma positiva esta será definitivamente uma conta ou utilizadores sobre o qual devemos refletir. Tenho mais desvantagens ou vantagens em seguir estas pessoas ou utilizador?

Rotas de ação para controlar as nossas redes:

  • Desligar notificações de aplicações ou de novos conteúdos de pessoas que seguimos;
  • Fazer unfollow ou pedir para não seguir uma pessoa ou perfil, sem remover a nossa conexão;
  • Definir uma hora específica para ver ou consultar certos websites. Por exemplo o youtube na própria APP permite criar notificações ao fim de X minutos (é personalizável);
  • Criar atrito entre nós e o que nos prejudica.

Criar atrito entre nós e as ações que nos prejudicam é o melhor curso de ação. Por exemplo se fazer compras online ou navegar durante horas em apps de lojas como AliExpress, E-bay ou Amazon é o nosso vício. Desinstalar as aplicações e remover os nossos dados de pagamento pode ajudar. Quando formos fazer o check-out optar sempre por percursos mais longos e demorados, isto porque numa compra de impulso se implicar confirmar a nossa morada, validar o cartão de crédito e antes disto tudo instalar a app própria ganhamos tempo para pensar é mesmo isto que preciso? E esta uma compra acertada? Possivelmente por preguiça vamos até adiar a compra e acabar por nos esquecer dela.

Outro exemplo é se por exemplo seguir celebridades e certos canais de notícias nos provoca stress, porque não fazer unfollow de todos e cada vez que desejarmos irmos ativamente ao perfil/conta/website consultar as novidades?

Lidar com o Stress Digital: COVID-19

Explicando um pouco a minha situação atual, estou em tele-trabalho há duas semanas e uma das coisas que me causa mais stress desde há muitos anos são notícias. No meu caso particular foi por opção própria e pensada manter-me à distância de telejornais ou formas estruturadas de receber notícias, não costumo ouvir nenhum programa de rádio específico ou canal noticioso por isso mesmo. Porque em dias normais as notícias e ações comuns das pessoas perturbam-me e mexem com a minha saúde mental.

Tendo isto em conta ao trabalhar durante as últimas 2 semanas num escritório com várias outras pessoas que não têm o mesmo stress ou ansiedade causada pelas notícias foi um período desafiante. De instantes a instantes haviam pessoas a partilhar notícias, dar estatísticas e falar sobre infetados e a partilhar situações próximas aflitivas que, para mim, tiveram o mesmo impacto que consumir notícias constantemente.

No momento de hoje, em casa consigo novamente gerir a informação e o que me perturba, consulto as notícias uma ou 2 vezes no máximo e ao meu ritmo. Ter este controlo sobre o que me rodeia melhora muito a minha saúde mental. Utilizar o instagram do @allboheme em que tenho uma lista curada de pessoas que sigo auxilia-me também a melhor gerir o meu stress.

Gerir o nosso tempo em Rede - Serie Saúde Mental - All Boheme

E vocês como têm estado com esta situação de Pandemia? Sentem que conseguem gerir de forma positiva o vosso tempo em rede?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *